Home > Banco de Questões > Filosofia >

Ética e Moral

Lista de 08 exercícios de filosofia com gabarito sobre o tema ética e moral com questões do Enem.





1. (Enem 2010, 2ª aplicação) A ética exige um governo que amplie a igualdade entre os cidadãos. Essa é a base da pátria. Sem ela, muitos indivíduos não se sentem “em casa”, experimentam-se como estrangeiros em seu próprio lugar de nascimento.

SILVA, R. R. Ética, defesa nacional, cooperação dos povos. OLIVEIRA, E. R (Org.) Segurança & defesa nacional: da competição à cooperação regional. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2007 (adaptado).

Os pressupostos éticos são essenciais para a estruturação política e integração de indivíduos em uma sociedade. De acordo com o texto, a ética corresponde a

  1. valores e costumes partilhados pela maioria da sociedade.
  2. preceitos normativos impostos pela coação das leis jurídicas.
  3. normas determinadas pelo governo, diferentes das leis estrangeiras.
  4. transferência dos valores praticados em casa para a esfera social.
  5. proibição da interferência de estrangeiros em nossa pátria.

2. (Enem 2010, 2ª aplicação) No século XX, o transporte rodoviário e a aviação civil aceleraram o intercâmbio de pessoas e mercadorias, fazendo com que as distâncias e a percepção subjetiva das mesmas se reduzissem constantemente. É possível apontar uma tendência de universalização em vários campos – por exemplo, na globalização da economia, no armamentismo nuclear, na manipulação genética, entre outros.

HABERMAS, J. A constelação pós-nacional: ensaios políticos. São Paulo: Littera Mundi, 2001 (adaptado).

Os impactos e efeitos dessa universalização, conforme Descritos no texto, podem ser analisados do ponto de vista moral, o que leva à defesa da criação de normas universais que estejam de acordo com

  1. os valores culturais praticados pelos diferentes povos em suas tradições e costumes locais.
  2. os pactos assinados pelos grandes líderes políticos, os quais dispõem de condições para tomar decisões.
  3. os sentimentos de respeito e fé no cumprimento de valores religiosos relativos à justiça divina.
  4. os sistemas políticos e seus processos consensuais e democráticos de formação de normas gerais.
  5. os imperativos técnico-científicos, que determinam com exatidão o grau de justiça das normas.

3. (Enem 2010 ) A ética precisa ser compreendida como um empreendimento coletivo a ser constantemente retomado e rediscutido, porque é produto da relação social se organize sentindo-se responsável por todos e que crie condições para o exercício de um pensar e agir autônomos. A relação entre ética e política é também uma questão de educação e luta pela soberania dos povos. É necessária uma ética renovada, que se construa a partir da natureza dos valores sociais para organizar também uma nova prática política.

CORDI et al. Para filosofar. São Paulo: Scipione, 2007 (adaptado).

O Século XX teve de repensar a ética para enfrentar novos problemas oriundos de diferentes crises sociais, conflitos ideológicos e contradições da realidade. Sob esse enfoque e a partir do texto, a ética pode ser

  1. compreendida como instrumento de garantia da cidadania, porque através dela os cidadãos passam a pensar e agir de acordo com valores coletivos.
  2. mecanismo de criação de direitos humanos, porque é da natureza do homem ser ético e virtuoso.
  3. meio para resolver os conflitos sociais no cenário da globalização, pois a partir do entendimento do que é efetivamente a ética, a política internacional se realiza.
  4. parâmetro para assegurar o exercício político primando pelos interesses e ação privada dos cidadãos.
  5. aceitação de valores universais implícitos numa sociedade que busca dimensionar sua vinculação à outras sociedades.

4. (Enem 2010) Na ética contemporânea, o sujeito não é mais um sujeito substancial, soberano e absolutamente livre, nem um sujeito empírico puramente natural. Ele é simultaneamente os dois, na medida em que é um sujeito históricosocial. Assim, a ética adquire um dimensionamento político, uma vez que a ação do sujeito não pode mais ser vista e avaliada fora da relação social coletiva. Desse modo, a ética se entrelaça, necessariamente, com a política, entendida esta como a área de avaliação dos valores que atravessam as relações sociais e que interliga os indivíduos entre si.

(SEVERINO. A. J. Filosofia)

O texto, ao evocar a dimensão histórica do processo deformação da ética na sociedade contemporânea, ressalta

  1. os conteúdos éticos decorrentes das ideologias político-partidárias.
  2. o valor da ação humana derivada de preceitos metafísicos.
  3. a sistematização de valores desassociados da cultura.
  4. o sentido coletivo e político das ações humanas individuais.
  5. o julgamento da ação ética pelos políticos eleitos democraticamente

5. (Enem 2009) Na década de 30 do século XIX, Tocqueville escreveu as seguintes linhas a respeito da moralidade nos EUA:

“A opinião pública norte-americana é particularmente dura com a falta de moral, pois esta desvia a atenção frente à busca do bemestar e prejudica a harmonia doméstica, que é tão essencial ao sucesso dos negócios. Nesse sentido, pode-se dizer que ser casto é uma questão de honra”.

TOCQUEVILLE, A. Democracy in America. Chicago: Encyclopædia Britannica, Inc., Great Books 44, 1990 (adaptado).

Do trecho, infere-se que, para Tocqueville, os norteamericanos do seu tempo

  1. buscavam o êxito, descurando as virtudes cívicas.
  2. tinham na vida moral uma garantia de enriquecimento rápido.
  3. valorizavam um conceito de honra dissociado do comportamento ético.
  4. relacionavam a conduta moral dos indivíduos com o progresso econômico.
  5. acreditavam que o comportamento casto perturbava a harmonia doméstica.

6. (Enem 2017) Uma pessoa vê-se forçada pela necessidade a pedir dinheiro emprestado. Sabe muito bem que não poderá pagar, mas vê também que não lhe emprestarão nada se não prometer firmemente pagar em prazo determinado. Sente a tentação de fazer a promessa; mas tem ainda consciência bastante para perguntar a si mesma: não é proibido e contrário ao dever livrar-se de apuros desta maneira? Admitindo que se decida a fazê-lo, a sua máxima de ação seria: quando julgo estar em apuros de dinheiro, vou pedi-lo emprestado e prometo pagá-lo, embora saiba que tal nunca sucederá.

KANT, I. Fundamentação da metafísica dos costumes. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

De acordo com a moral kantiana, a “falsa promessa de pagamento” representada no texto

  1. assegura que a ação seja aceita por todos a partir da livre discussão participativa.
  2. garante que os efeitos das ações não destruam a possibilidade da vida futura na terra.
  3. opõe-se ao princípio de que toda ação do homem possa valer como norma universal.
  4. materializa-se no entendimento de que os fins da ação humana podem justificar os meios.
  5. permite que a ação individual produza a mais ampla felicidade para as pessoas envolvidas.

7. (Enem 2017) A moralidade, Bentham exortava, não é uma questão de agradar a Deus, muito menos de fidelidade a regras abstratas. A moralidade é a tentativa de criar a maior quantidade de felicidade possível neste mundo. Ao decidir o que fazer, deveríamos, portanto, perguntar qual curso de conduta promoveria a maior quantidade de felicidade para todos aqueles que serão afetados.

RACHELS, J. Os elementos dafilosofia moral. Barueri-SP: Manole, 2006.

Os parâmetros da ação indicados no texto estão em conformidade com uma

  1. fundamentação científica de viés positivista.
  2. convenção social de orientação normativa.
  3. transgressão comportamental religiosa.
  4. racionalidade de caráter pragmático.
  5. inclinação de natureza passional.

8. (Enem 2017) Se, pois, para as coisas que fazemos existe um fim que desejamos por ele mesmo e tudo o mais é desejado no interesse desse fim; evidentemente tal fim será o bem, ou antes, o sumo bem. Mas não terá o conhecimento, porventura, grande influência sobre essa vida? Se assim é, esforcemo-nos por determinar, ainda que em linhas gerais apenas, o que seja ele e de qual das ciências ou faculdades constitui o objeto. Ninguém duvidará de que o seu estudo pertença à arte mais prestigiosa e que mais verdadeiramente se pode chamar a arte mestra. Ora, a política mostra ser dessa natureza, pois é ela que determina quais as ciências que devem ser estudadas num Estado, quais são as que cada cidadão deve aprender, e até que ponto; e vemos que até as faculdades tidas em maior apreço, como a estratégia, a economia e a retórica, estão sujeitas a ela. Ora, como a política utiliza as demais ciências e, por outro lado, legisla sobre o que devemos e o que não devemos fazer, a finalidade dessa ciência deve abranger as das outras, de modo que essa finalidade será o bem humano.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. In: Pensadores. São Pauto: Nova Cultural, 1991 (adaptado).

Para Aristóteles, a relação entre o sumo bem e a organização da pólis pressupõe que

  1. o bem dos indivíduos consiste em cada um perseguir seus interesses.
  2. o sumo bem é dado pela fé de que os deuses são os portadores da verdade.
  3. a política é a ciência que precede todas as demais na organização da cidade.
  4. a educação visa formar a consciência de cada pessoa para agir corretamente.
  5. a democracia protege as atividades políticas necessárias para o bem comum.





Voltar ao topo
.