Home > Banco de Questões > Geografia >

Urbanização Brasileira

Lista de 10 exercícios de Geografia com gabarito sobre o tema Urbanização Brasileira com questões do Enem.





1. (Enem 2019) Tratava-se agora de construir um ritmo novo. Para tanto, era necessário convocar todas as forças vivas da Nação, todos os homens que, com vontade de trabalhar e confiança no futuro, pudessem erguer, num tempo novo, um novo Tempo. E, à grande convocação que conclamava o povo para a gigantesca tarefa, começaram a chegar de todos os cantos da imensa pátria os trabalhadores: os homens simples e quietos, com pés de raiz, rostos de couro e mãos de pedra, e no calcanho, em carro de boi, em lombo de burro, em paus-de-arara, por todas as formas possíveis e imagináveis, em sua mudez cheia de esperança, muitas vezes deixando para trás mulheres e filhos a aguardar suas promessas de melhores dias; foram chegando de tantos povoados, tantas cidades cujos nomes pareciam cantar saudades aos seus ouvidos, dentro dos antigos ritmos da imensa pátria... Terra de sol, Terra de luz... Brasil! Brasil! Brasília!

MORAES, V; JOBIM, A.C. Brasilia, sinfonia da alvorada. Il-Achegada dos candangos. Disponivel em: www.viniciusdemoraes.com.br. Acesso em: 14 ago. 2012 (adaptado).

No texto, a narrativa produzida sobre a construção de Brasília articula os elementos políticos e socioeconomicos indicados, respectivamente, em:

  1. pelo simbólico e migração inter-regional.
  2. Organização sindical e expansão do capital.
  3. Segurança territorial e estabilidade financeira.
  4. Consenso partidário e modernização rodoviária.
  5. Perspectiva democrática e eficácia dos transportes.

2. (Enem 2016) O Rio de Janeiro tem projeção imediata no próprio estado e no Espírito Santo, em parcela do sul do estado da Bahia, e na Zona da Mata, em Minas Gerais, onde tem influência dividida com Belo Horizonte. Compõem a rede urbana do Rio de Janeiro, entre outras cidades: Vitória, Juiz de Fora, Cachoeiro de Itapemirim, Campos dos Goytacazes, Volta Redonda - Barra Mansa, Teixeira de Freitas, Angra dos Reis e Teresópolis.

Disponível em: http://ibge.gov.br. Acesso em: 9 jul. 2015 (adaptado).

O conceito que expressa a relação entre o espaço apresentado e a cidade do Rio de Janeiro é:

  1. Frente pioneira.
  2. Zona de transição.
  3. Região polarizada.
  4. Área de conurbação.
  5. Periferia metropolitana.

3. (Enem 2014) A charge, datada de 1910, ao retratar a implantação da rede telefônica no Brasil, indica que esta

A charge, datada de 1910, ao retratar a implantação da rede telefônica no Brasil, indica que esta
  1. permitiria aos ı́ndios se apropriarem da telefonia móvel.
  2. ampliaria o contato entre a diversidade de povos indı́genas.
  3. faria a comunicação sem ruı́dos entre grupos sociais distintos.
  4. restringiria a sua área de atendimento aos estados do norte do paı́s.
  5. possibilitaria a integração das diferentes regiões do território nacional.

4. (Enem 2014) A urbanização brasileira, no inı́cio da segunda metade do século XX, promoveu uma radical alteração nas cidades. Ruas foram alargadas, túneis e viadutos foram construı́dos. O bonde foi a primeira vı́tima fatal. O destino do sistema ferroviário não foi muito diferente. O transporte coletivo saiu definitivamente dos trilhos.

JANOT, L. F. A caminho de Guaratiba. Disponı́vel em: www.iab.org.br. Acesso em: 9 jan. 2014 (adaptado).

A relação entre transportes e urbanização é explicada, no texto, pela

  1. retirada dos investimentos estatais aplicados em transporte de massa.
  2. demanda por transporte individual ocasionada pela expansão da mancha urbana.
  3. presença hegemônica do transporte alternativo localizado nas periferias das cidades.
  4. aglomeração do espaço urbano metropolitano impedindo a construção do transporte metroviário.
  5. predominância do transporte rodoviário associado à penetração das multinacionais automobilı́sticas.

5. (Enem 2013) Trata-se de um gigantesco movimento de construção de cidades, necessário para o assentamento residencial dessa população, bem como de suas necessidades de trabalho, abastecimento, transportes, saúde, energia, água etc. Ainda que o rumo tomado pelo crescimento urbano não tenha respondido satisfatoriamente a todas essas necessidades, o território foi ocupado e foram construı́das as condições para viver nesse espaço.

MARICATO, E. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes, 2001.

A dinâmica de transformação das cidades tende a apresentar como consequência a expansão das áreas periféricas pelo(a)

  1. crescimento da população urbana e aumento da especulação imobiliária.
  2. direcionamento maior do fl uxo de pessoas, devido à existência de um grande número de serviços.
  3. delimitação de áreas para uma ocupação organizada do espaço fı́sico, melhorando a qualidade de vida.
  4. implantação de polı́ticas públicas que promovem a moradia e o direito à cidade aos seus moradores.
  5. reurbanização de moradias nas áreas centrais, mantendo o trabalhador próximo ao seu emprego, diminuindo os deslocamentos para a periferia.

6. (Enem 2012) A moderna “conquista da Amazônia” inverteu o eixo geográfico da colonização da região. Desde a época colonial até meados do século XIX, as correntes principais de população movimentaram-se no sentido Leste-Oeste, estabelecendo uma ocupação linear articulada. Nas últimas décadas, os fluxos migratórios passaram a se verificar no sentido Sul-Norte, conectando o Centro-Sul à Amazônia.

OLIC, N. B. Ocupação da Amazônia, uma epopeia inacabada. Jornal Mundo, ano 16, n. 4, ago. 2008 (adaptado).

O primeiro eixo geográfico de ocupação das terras amazônicas demonstra um padrão relacionado à criação de

  1. núcleos urbanos em áreas litorâneas.
  2. centros agrı́colas modernos no interior.
  3. vias férreas entre espaços de mineração.
  4. faixas de povoamento ao longo das estradas.
  5. povoados interligados próximos a grandes rios.

7. (Enem 2012) A partir dos anos 70, impõe-se um movimento de desconcentração da produção industrial, uma das manifestações do desdobramento da divisão territorial do trabalho no Brasil. A produção industrial torna-se mais complexa, estendendo-se, sobretudo, para novas áreas do Sul e para alguns pontos do Centro-Oeste, do Nordeste e do Norte.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no inı́cio do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2002 (fragmento).

Um fator geográfico que contribui para o tipo de alteração da configuração territorial descrito no texto é:

  1. Obsolescência dos portos.
  2. Estatização de empresas.
  3. Eliminação de incentivos fiscais.
  4. Ampliação de polı́ticas protecionistas.
  5. Desenvolvimento dos meios de comunicação.

8. (Enem 2011) O Centro-Oeste apresentou-se como extremamente receptivo aos novos fenômenos da urbanização, já que era praticamente virgem, não possuindo infraestrutura de monta, nem outros investimentos fixos vindos do passado. Pôde, assim, receber uma infraestrutura nova, totalmente a serviço de uma economia moderna.

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. São Paulo: EdUSP, 2005 (adaptado).

O texto trata da ocupação de uma parcela do território brasileiro. O processo econômico diretamente associado a essa ocupação foi o avanço da

  1. industrialização voltada para o setor de base.
  2. economia da borracha no sul da Amazônia.
  3. fronteira agropecuária que degradou parte do cerrado.
  4. exploração mineral na Chapada dos Guimarães.
  5. extrativismo na região pantaneira.

9. (Enem 2011) Subindo morros, margeando córregos ou penduradas em palafitas, as favelas fazem parte da paisagem de um terço dos municı́pios do paı́s, abrigando mais de 10 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatı́stica (IBGE).

MARTINS, A. R. A favela como um espaço da cidade. Disponı́vel em: http://www.revistaescola.abril.com.br. Acesso em: 31 jul. 2010.

A situação das favelas no paı́s reporta a graves problemas de desordenamento territorial. Nesse sentido, uma caracterı́stica comum a esses espaços tem sido

  1. o planejamento para a implantação de infraestruturas urbanas necessárias para atender as necessidades básicas dos moradores.
  2. a organização de associações de moradores interessadas na melhoria do espaço urbano e financiadas pelo poder público.
  3. a presença de ações referentes à educação ambiental com consequente preservação dos espaços naturais circundantes.
  4. a ocupação de áreas de risco suscetı́veis a enchentes ou desmoronamentos com consequentes perdas materiais e humanas.
  5. o isolamento socioeconômico dos moradores ocupantes desses espaços com a resultante multiplicação de polı́ticas que tentam reverter esse quadro.

10. (Enem 2009) A mais profunda objeção que se faz à ideia da criação de uma cidade, como Brası́lia, é que o seu desenvolvimento não poderá jamais ser natural. É uma objeção muito séria, pois provém de uma concepção de vida fundamental: a de que a atividade social e cultural não pode ser uma construção. Esquecem-se, porém, aqueles que fazem tal crı́tica, que o Brasil, como praticamente toda a América, é criação do homem ocidental.

PEDROSA, M. Utopia: obra de arte. Vis - Revista do Programa de Pós-graduação em Arte (UnB), Vol. 5, n. 1, 2006 (adaptado).

As ideias apontadas no texto estão em oposição, porque

  1. a cultura dos povos é reduzida a exemplos esquemáticos que não encontram respaldo na história do Brasil ou da América.
  2. as cidades, na primeira afirmação, têm um papel mais fraco na vida social, enquanto a América é mostrada como um exemplo a ser evitado.
  3. a objeção inicial, de que as cidades não podem ser inventadas, é negada logo em seguida pelo exemplo utópico da colonização da América.
  4. a concepção fundamental da primeira afirmação defende a construção de cidades e a segunda mostra, historicamente, que essa estratégia acarretou sérios problemas.
  5. a primeira entende que as cidades devem ser organismos vivos, que nascem de forma espontânea, e a segunda mostra que há exemplos históricos que demonstram o contrário.


.