Home > Propostas de Redação > Sociedade >

Medidas para combater o Assédio sexual no ambiente de trabalho

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema "Medidas para combater o Assédio sexual no ambiente de trabalho", apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


TEXTO I

Assédio sexual

Agressões físicas ou simbólicas com conotação sexual, que acontecem por intimidação, chantagem e/ou até mesmo à força, podem ser consideradas assédio sexual. A prática se difere do estupro, mas também é considerada crime pelo Código Penal. Nesse caso, os danos são tão ou mais agudos que os provocados pelo assédio moral. “A individualidade psíquica é diretamente atingida”, definiu Leilane Vieira. E o silêncio tende a ser ainda maior. “Por que as pessoas não denunciam? Falta de confiança ou de comunicação, medo de ser ainda mais julgada, dificuldade de provas”, comentou a psicóloga.

https://www.ufg.br/n/101854-como-evitar-o-assedio


TEXTO II

Casos como o de Paula, infelizmente, não são incomuns. Dados de uma pesquisa feita pela Talenses, consultoria de recrutamento executivo, com 3 215 entrevistados e com exclusividade para VOCÊ S/A, revelam que 34% das mulheres já sofreram algum tipo de assédio sexual no ambiente de trabalho. Entre os homens o número alcança 12%.

O índice mais baixo entre os profissionais do sexo masculino tem explicação psicológica. Para alguns deles, denunciar um caso de assédio pode demonstrar fraqueza — ainda mais se a assediadora for mulher.

“Há uma tendência de eles racionalizarem esse tipo de situação. Grande parte não se verá como vítima nem se culpará. Vai pensar nas qualidades como homem, no que pode ter feito para despertar o interesse”, diz Pricila Gunutzmann, professora de psicologia na Universidade Anhembi Morumbi e especialista em gestão de pessoas.

A cultura machista em alguns ambientes de trabalho também pode contribuir para que as funcionárias tenham de enfrentar mais essa questão. E esse é um problema global.

https://vocesa.abril.com.br/carreira/1-a-cada-5-profissionais-sofreu-assedio-sexual-no-trabalho-veja-relatos/


TEXTO III

Uma pesquisa conduzida por dois juízes com quase 2 mil mulheres que atuam nas instituições de segurança pública e Forças Armadas revela que 74% delas já sofreram assédio sexual no ambiente de trabalho.

O objetivo do estudo é expor a realidade enfrentada pelas profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Penal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Guarda Municipal, Exército, Marinha e Aeronáutica.

Os resultados completos da pesquisa serão apresentados neste sábado em uma transmissão on-line. A data foi escolhida por também ser o “Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher”.

https://veja.abril.com.br/blog/radar/74-das-mulheres-da-area-da-seguranca-ja-sofreram-assedio-no-quartel/


TEXTO IV

https://www.trt6.jus.br/portal/noticias/2018/03/27/combate-ao-assedio-sexual-no-trabalho-e-tema-de-campanha-do-mpt-em-parceria-com


Confira os nossos cronogramas gratuitos para o Enem e Vestibulares

.