Home > Blog da Agatha > Redação >

Dicas para a redação enem


Dicas para a sua redação enem




Leia mais, Seja mais!

Com certeza você já ouviu falar que, para escrever bem, é preciso ler muito. Pois bem, isso é verdade. A leitura frequente e diversificada colabora com a escrita em vários aspectos:

• Amplia o vocabulário, possibilitando que nossa expressão na linguagem formal, exigida em exames como o Enem, seja cada vez melhor, ajudando-nos a fazer bom uso de sinônimos e articuladores argumentativos.

• Diversifica nosso repertório sociocultural, contribuindo para a seleção de ideias, fatos e informações que podem ser utilizados na construção de argumentos sobre os mais variados temas.

• Permite-nos enxergar outras possibilidades de construção da argumentação, proporcionando bons exemplos de como defender um ponto de vista, mostrando, por exemplo, como antecipar e rebater contra-argumentos.

• Expande nossa visão de mundo, auxiliando-nos a compreender a complexidade das relações humanas. Isso facilita, por exemplo, a elaboração de propostas de intervenção concretas e bem articuladas ao tema proposto.


Para isso, é importante buscar fontes de leitura variadas e de qualidade, desde obras literárias a artigos de divulgação científica, em diversos suportes: livros, revistas, sites de faculdades, blogs etc.

Fique atento também aos assuntos trabalhados em sala de aula ou que são destaques nos noticiários e pesquise sobre eles. Nesse percurso, você poderá descobrir, além de novos recursos para auxiliá-lo na elaboração de seus textos, outros interesses: um novo escritor preferido, uma ideia interessante para um projeto da escola, um ponto de partida para uma carreira promissora etc.

Enfim, a leitura realmente pode nos ajudar a escrever melhor, à medida que amplia nosso entendimento da língua, do mundo e das relações humanas, trazendo para nossos textos não apenas novas palavras, mas ideias mais maduras, articuladas e fundamentadas, seja no contexto de uma prova, como é a redação do Enem, seja em outras tantas situações cotidianas permeadas pela escrita.

Dica rápida para sua redação!

Evite usar expressões “difíceis” que você não conhece tão bem (elas podem não indicar o que você pensa). Você pode se sentir tentado a usar expressões mais rebuscadas ou pouco usuais para impressionar os corretores de sua redação, mas, a menos que tenha absoluta certeza do seu significado, evite-as.

Veja o caso da expressão “junto a” por exemplo. Pode até parecer mais culto dizer que um problema deve ser discutido “junto à” prefeitura, mas isso não faz sentido: a expressão “junto a” significa “perto de”. Escreva simplesmente que tem de ser discutido com a prefeitura.

Posto que” é outra expressão elaborada que muita gente emprega equivocadamente. O sentido correto é adversativo (como “embora”), e não causal (como “já que”). A norma culta prevê que você diga algo como “Posto que estivesse chovendo, fui à praia”, e não “Posto que fizesse sol, fui à praia”. lembre-se: linguagem formal não é sinônimo de linguagem complicada. Uma boa dica é, ao revisar seu texto, cortar todas as frases e expressões que estão ali só por convenção.

Revise a sua redação

Se você já finalizou um rascunho da sua redação, vale a pena revisar o que fez antes de passar a limpo.

Reveja a linguagem: Caso tenha dúvida de uma grafia, tente substituir a palavra. Verifique os acentos das palavras e as virgulas.

Elimine repetições: Quando encontrar uma repetição, veja se a palavra precisa ser mantida ou se pode ser substituída.

Atente para o excesso de ”que": Ele pode sinalizar períodos muito longos e mal construídos. Veja se nâo é o caso de eliminar um "que" e abrir uma nova oração. Com o verbo ter, utilize "ter de" em lugar de "ter que" para evitar sua repetição.

Analise seus argumentos: Veja se há coerência entre as ideias e coesão entre os elementos textuais. Observe se acertou na escolha de conjunções e preposições.

Fonte: "Redação no Enem 2018, Cartilha do participante" (INEP/MEC)

.