Home > Blog da Agatha > Redação >

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos

O quinto aspecto a ser avaliado no seu texto é a apresentação de uma proposta de intervenção para o problema abordado. Por isso, a sua redação deve apresentar uma tese sobre o tema, apoiada em argumentos consistentes, e uma proposta de intervenção para o problema abordado.



O quinto aspecto a ser avaliado no seu texto é a apresentação de uma proposta de intervenção para o problema abordado. Por isso, a sua redação deve apresentar uma tese sobre o tema, apoiada em argumentos consistentes, e uma proposta de intervenção para o problema abordado. Considerando seu planejamento de escrita, ou seja, seu projeto de texto (avaliado na Competência 3), sua proposta deve ser coerente em relação à tese desenvolvida no texto e aos argumentos utilizados, já que expressa sua visão, como autor, das possíveis soluções para a questão discutida. Além disso, é necessário, ao idealizar sua proposta de intervenção, respeitar os direitos humanos, ou seja, não romper com os valores de cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural.


Como saber se o participante está ferindo os direitos humanos na redação?

A prova de redação do Enem sempre assinalou a necessidade de o participante respeitar os direitos humanos (DH), e essa determinação está na matriz de referência da redação do Enem. Conforme a matriz, as redações que apresentarem propostas de intervenção que desrespeitem os direitos humanos serão penalizadas na Competência 5.

Pode-se dizer que determinadas ideias e ações serão sempre avaliadas como contrárias aos DH, tais como: defesa de tortura, mutilação, execução sumária e qualquer forma de “justiça com as próprias mãos”, isto é, sem a intervenção de instituições sociais devidamente autorizadas (o governo, as autoridades, as leis, por exemplo); incitação a qualquer tipo de violência motivada por questões de raça, etnia, gênero, credo, condição física, origem geográfica ou socioeconômica; explicitação de qualquer forma de discurso de ódio (voltado contra grupos sociais específicos).

Há, também, algumas ideias e ações contrárias aos DH que estão mais diretamente relacionadas ao tema da prova. No Enem 2017, com o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, configuraram-se como propostas que feriam os DH aquelas que desconsideravam os princípios da dignidade humana, da igualdade de direitos e de reconhecimento e valorização das diferenças e da diversidade, que incitavam qualquer tipo de ação eugênica, assim como aquelas que configuravam a segregação, o confinamento, o isolamento e/ou o rebaixamento que prive(m) o surdo do convívio social e escolar, além de propostas de formação educacional do surdo constrangedoras, coercitivas ou torturantes.


Assim, de modo mais específico, receberam nota 0 (zero) na Competência 5 redações que feriram os direitos humanos por:

• Ferir a dignidade da pessoa humana.

• Negar o direito de expressão e de comunicação do surdo, assim como impor a obrigatoriedade de uma forma de comunicação ou expressão.

• Negar ao surdo o direito à educação, sob qualquer pretexto.

• Proibir que o surdo escolha a melhor forma de se comunicar.

• Negar o direito ao acesso e à expressão.

• Considerar a surdez como incapacidade para a vida em sociedade, para o trabalho e para a educação.

• Defender teses contrárias à alocação de recursos destinados à acessibilidade para surdos na educação de modo geral.

• Subalternizar a posição profissional do surdo no mercado de trabalho, sob a alegação de supostas incapacidades comunicacionais e/ou intelectuais.

• Propor um “ensurdecimento” compulsório de pessoas ouvintes.

• Empoderar o Poder Público a obrigar o implante coclear e/ou o uso do aparelho auditivo.



A seguir, são apresentados alguns exemplos de trechos de redações de participantes do Enem 2017 que levaram à atribuição de nota 0 (zero) na Competência 5, por ferirem os direitos humanos:

• “Este grupo tem que ir para escolas especiais, tirando assim o contato dele com a sociedade”.

• “Surdos devem ter apenas o ensino básico, devem ser aposentados, não podem ter direito de estudar em uma universidade, não são pessoas normais, não podem trabalhar”.

• “A melhor decisão a ser tomada é o sacrifício logo após a descoberta da ‘maldição’, evitando o sofrimento de todas as partes e mantendo a sociedade no rumo da evolução”.

Em resumo, na prova de redação do Enem, quaisquer que sejam os temas propostos para o desenvolvimento do texto dissertativo-argumentativo, constituem desrespeito aos DH propostas que incitam as pessoas à violência, ou seja, aquelas em que transparece a ação de indivíduos na administração da punição – por exemplo, as que defendem a “justiça com as próprias mãos”. Por isso, não caracterizam desrespeito aos DH as propostas de pena de morte ou prisão perpétua, uma vez que conferem ao Estado a administração da punição ao agressor. Essas punições não dependem de indivíduos, configurando-se como contratos sociais cujos efeitos todos devem conhecer e respeitar em uma sociedade.


A proposta de intervenção também deve refletir os conhecimentos de mundo de quem a redige e, quando muito bem elaborada, deve conter não apenas a exposição da ação interventiva sugerida, mas também o ator social competente para executá-la, de acordo com o âmbito da ação escolhida: individual, familiar, comunitário, social, político, governamental e mundial. Além disso, a proposta de intervenção deve conter o meio de execução da ação e o seu possível efeito, bem como algum outro detalhamento.

Ao redigir seu texto, evite propostas vagas ou muito genéricas; busque ações mais concretas, mais específicas ao tema e consistentes com o desenvolvimento de suas ideias. Antes de elaborar sua proposta, procure responder às seguintes perguntas: o que é possível apresentar como proposta de intervenção para o problema apresentado pelo tema? Quem deve executá-la? Como viabilizar essa proposta? Qual efeito ela pode alcançar? Resumindo: seu texto será avaliado, portanto, com base na composição e no detalhamento da proposta que você apresentar.


Pontuação: 200
Elabora muito bem proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.
Pontuação: 160
Elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.
Pontuação: 120
Elabora, de forma mediana, proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.
Pontuação: 80
Elabora, de forma insuficiente, proposta de intervenção relacionada ao tema, ou não articulada com a discussão desenvolvida no texto.
Pontuação: 40
Apresenta proposta de intervenção vaga, precária ou relacionada apenas ao assunto.
Pontuação: 0
Não apresenta proposta de intervenção ou apresenta proposta não relacionada ao tema ou ao assunto.

Fonte: "Redação no Enem 2018, Cartilha do participante" (INEP/MEC)

.