Home > Gabarito Enem > 2019 > Ciências Humanas

A relação entre ser humano e natureza ressaltada no texto refletia a permanência da seguinte corrente filosófica

Questão 48: Prova Azul


Dizem que Humboldt, naturalista do século XIX, maravilhado pela geografia, flora e fauna da região sul-americana, via seus habitantes como se fossem mendigos sentados sobre um saco de ouro, referindo-se a suas incomensuráveis riquezas naturais não exploradas. De alguma maneira, o cientista ratificou nosso papel de exportadores de natureza no que seria o mundo depois da colonização ibérica: enxergou-nos como territórios condenados a aproveitar os recursos naturais existentes.

ACOSTA, A. Bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. São Paulo: Elefante, 2016 (adaptado).

A relação entre ser humano e natureza ressaltada no texto refletia a permanência da seguinte corrente filosófica:

  1. Relativismo cognitivo.
  2. Materialismo dialético
  3. Racionalismo cartesiano
  4. Pluralismo epistemológico
  5. Existencialismo fenomenológico



Tema: Filosofia

A resposta correta é a letra C "Racionalismo cartesiano."

Humboldt foi naturalista do século XIX, é que teve influência da revolução científica do século 17 onde a visão de mundo sofre grandes mudanças, e se passou a ter um pensamento mais crítico.

A questão em sí pode ser encontrada por eliminação

A) O Relativismo cognitivo afirma que toda a verdade é relativa

B) O Materialismo dialético tem relação com Karl Marx

C) O Racionalismo cartesiano defende que conhecimentos só eram considerados corretos depois de confirmados pela experiência e razão, surgindo assim o método experimental ou científico.

D) O Pluralismo epistemológico: defende um ensino de ciências que tenha como pressupostos o respeito às formas de conhecimento oriundas de culturas distintas.

E) O Existencialismo fenomenológico tem como preocupação central a descrição da realidade

Dizem que Humboldt, naturalista do século XIX, maravilhado pela geografia, flora e fauna da região sul-americana, via seus habitantes como se fossem mendigos sentados sobre um saco de ouro, referindo-se a suas incomensuráveis riquezas naturais não exploradas. De alguma maneira, o cientista ratificou nosso papel de exportadores de natureza no que seria o mundo depois da colonização ibérica: enxergou-nos como territórios condenados a aproveitar os recursos naturais existentes.

ACOSTA, A. Bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. São Paulo: Elefante, 2016 (adaptado).

A relação entre ser humano e natureza ressaltada no texto refletia a permanência da seguinte corrente filosófica:



.